O tempo ideal para o aleitamento materno exclusivo é de seis meses. Porém, o Ministério da Saúde alerta que, em média, as mamães brasileiras param de dar o peito ou ao menos combinam esta prática com a introdução de outros alimentos após 54 dias do parto, o que pode prejudicar o desenvolvimento do organismo do bebê.

Mas nada se compara ao calor daquele corpo tão pequeno grudado ao seu. Cada contato olho no olho de uma maneira mais intensa e carinhosa. Os movimentos de respiração em harmonia. Assim é a amamentação, ou algo neste sentido, afinal, é impossível descrever em palavras o prazer e o sentimento deste momento.

Para te ajudar a aproveitar este momento único de amor e paz, separamos 9 dicas para ajudar as mamães a combater os obstáculos da amamentação.

1 – Prepare-se para a hora de amamentar. Escolha um local arejado, calmo e sem muitas interrupções.

2 – Esteja relaxada e conectada com o momento. Se você pegar o bebê estressada e com pressa, ele sentirá a tensão e o aleitamento pode não ser bem sucedido.

3 – Tente observar as necessidades do bebê. Faça intervalos de maneira que ele não esteja morto de fome na hora de alimentá-lo, pois o bebê tende a estar mais estressado e pode não mamar corretamente.

4 – Praticamente 100% do sucesso da amamentação está relacionado à pega correta. Ou seja, isso significa que o bebê deve ter o corpo voltado ao da mãe, barriga com barriga, a cabeça em posição mais elevada que o bumbum, na altura do seio da mamãe, lábios bem para fora, com o queixo próximo da mama, bochechas bem redondas, abocanhando o máximo possível da aréola que ele conseguir. Nunca só o bico!

5 – Se você ouvir qualquer barulho na boca do bebê durante a mamada, é porque algo está errado. Estalos na língua ou som semelhante a um beijo não devem fazer parte desse momento, apenas ruídos de sucção e deglutição. Caso escute qualquer coisa além disso, tire o bebê do seio e recomece.

6 – A dor também é um sinal de pega incorreta. A amamentação não deve doer. Mude de posição e lembre-se de sempre trazer o bebê até o seio, nunca o contrário.

7 – O seu filho está mamando regularmente, mas continua chorando? Pode ser sinal de pega incorreta, e consequentemente, menor ingestão. Ou de que há pouco leite. Beba mais água, alimente-se de forma saudável, descanse nos intervalos das mamadas e, principalmente, coloque o bebê para mamar mais vezes. Isso é fundamental, pois a sucção faz liberar ocitocina, responsável por aumentar a produção do leite.

8 – Se o bebê cismar que só quer mamar em um seio, a primeira coisa a fazer é identificar o motivo. Caso seja por gostar mais de uma posição do que de outra, tente oferecer o peito rejeitado da mesma maneira, de preferência começando por ele. Por exemplo, se o bebê mama muito no seio direito, barriga com barriga, e tem rejeição pelo esquerdo, basta colocá-lo no mamilo esquerdo, com o corpo abaixo do seu braço esquerdo – na lateral da cintura. Desta forma, a cabeça do neném não muda de posição de uma mama para outra, o que pode facilitar a pega.

9 – Descanse o máximo que puder entre as mamadas. A rotina da amamentação é cansativa e, se você estiver esgotada física ou emocionalmente, isso afetará sua produção de leite. Por isso, não sinta vergonha em pedir ajuda.

Aproveite cada momento com o seu bebê. Seja durante a amamentação, ou em todos os momentos. E não deixe de dar o leite materno. Ele é de suma importância para o desenvolvimento do sistema imunológico do seu neném.

Referências

http://revistacrescer.globo.com/Por-Uma-Infancia-Mais-Saudavel/noticia/2015/04/23-dicas-para-amamentar-numa-boa.html

https://saude.abril.com.br/familia/9-sacadas-para-garantir-uma-amamentacao-perfeita-ao-bebe/